[ LINHAS DE PESQUISA ]

Gestão, Trabalho e Acumulação de Capital

Estudar os processos históricos e contemporâneos de acumulação de capital em suas relações com os modelos de gestão e de produção, circulação e distribuição de mercadorias e serviços, de logística e de circulação de capitais, pelas organizações públicas e/ou privadas (unidades produtivas e de serviços), desde os processos decorrentes das atividades das organizações que compõem o Núcleo do Desenvolvimento Produtivo, passando pela rede de estrutura de apoio público (aparelhos estatais), pelas organizações tradicionais, pelos empreendimentos de iniciativa popular (cooperativas de produção e de trabalho, economias solidárias, etc.), até os novos modos de organização do trabalho (plataformização, trabalho remoto, pejotização, microempreendimento, etc.), visando analisar a dinâmica complexa e as contradições do processo de produção e gestão e seus impactos sociais, políticos, jurídicos, culturais e econômicos na vida da sociedade.

Sociedade, Trabalho e Subjetividade

Estudar as relações objetivas e subjetivas do processo social de produção e de reprodução das condições de existência – com atenção ao trabalho – em seus aspectos sociais, organizacionais e psíquicos, especialmente referentes à alienação, à constituição da identidade, aos vínculos, ao laço social, à submissão e resistência (ou às estratégias defensivas) ao instituído, às vivências de prazer e sofrimento, (adoecimento físico e emocional), aos critérios de justiça e reconhecimento social. Esta linha se dedica aos estudos que fazem uma aproximação entre as categorias de análise de orientação marxista, psicanalítica (freudiana/lacaniana), da psicologia social e da teoria crítica, considerando suas diferenças epistemológicas e ontológicas, com a finalidade de investigar criticamente as e refletir sobre as formas práticas de intervenção nas relações sociais de produção e de reprodução das condições de existência da vida cotidiana sob o capital a partir das dinâmicas e das práticas sociais nas interfaces com os processos de subjetivação.

Organizações Coletivistas, Poder e Trabalho

Estudar as formas de organização coletivistas (gestão participativa, cogestão, gestão cooperativa, economia solidária e autogestão) a partir dos graus de controle social, das relações de propriedade e posse, relações de trabalho, processos de decisão e instâncias de responsabilidade. Esta linha também incorpora as Categorias de Análise referentes aos critérios de justiça em uma gestão democrática e social.

Estado, Relações de Poder e Políticas Públicas

Estudar o papel do Estado enquanto, ao mesmo tempo, intérprete dos interesses dominantes, fator de manutenção da coesão de uma determinada formação social e lugar das contradições objetivas (econômicas, jurídico-políticas e ideológicas). A ênfase desta linha é sobre pesquisas acerca das formas de organização coletiva da sociedade em suas relações com a definição e realização de políticas públicas e formas coletivas de organização e resistência. Esta linha confere especial atenção aos processos de planejamento e de gestão públicas e de formação e implantação de políticas sociais e urbanas. Estado, ideologia, instrumentos de política urbana, gestão participativa, ação coletiva e contradições do processo de urbanização.

Ontologia e Epistemologia Crítica do Concreto

O objetivo desta linha é investigar como os conhecimentos científicos, filosóficos e tecnológicos são produzidos, expostos e apreendidos na perspectiva ontológica e epistemológica crítica do concreto. As pesquisas desta linha enfatizam tanto os métodos de produção crítica do conhecimento, como suas formas de representação (teórica, filosófica e tecnológica), os meios de exposição, de apreensão (ensino, formação continuada, atividades de extensão, etc.) e de avaliação, em diferentes Áreas do Conhecimento: Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas, Ciências da Saúde, Ciências Jurídicas, Educação, Engenharia e Geografia Humana, etc.