Análise de Discurso em Estudos Organizacionais: as concepções de Pêcheux e Bakhtin
O objetivo deste ensaio é refletir sobre a Análise de Discurso em Estudos Organizacionais segundo as concepções de Pêcheux e Bakhtin. Não se trata de uma proposição operacional de Análise de Discurso - AD, mas de uma discussão acerca dos cuidados sobre sua prática. A justificativa para este ensaio deve-se ao fato de que a utilização de entrevistas qualitativas e de análise de documentos e textos impressos em pesquisas nas áreas dos Estudos Organizacionais tem aumentado de forma exponencial nos últimos quinze anos no Brasil. Para Michel Pêcheux há uma relação discursolínguasujeitohistória ou discursolínguaideologia, em que o discurso é estudado não apenas enquanto forma linguística, mas como forma material da ideologia e em seu contato com o histórico, pois é aí que a materialidade específica do discurso se constitui. Já a teoria da linguagem de Bakhtin, em sua concepção dialógica, proporciona a apreensão de um processo de compreensão de um referencial heurístico (enquanto procedimentos pelos quais o sujeito, através de processos, regras ou métodos, descobre o sentido das palavras) de grande valia para a compreensão da estratégia de análise do discurso. O que se pode concluir é que quando se analisa um discurso é necessário considerar que o mesmo não tem sentido sem que haja uma interpretação, um significado que lhe dê visibilidade.