A Relação entre Trabalho e Tecnologia a partir das Organizações Prestadoras de Serviços de Call Center
A Relação entre Trabalho e Tecnologia a partir das Organizações Prestadoras de Serviços de Call Center Priscila da Silva Duarte, Andreia Campesi, David Silva da Luz e Maicon de Lima Soares Artigo apresentado no dia 10/11/2011 no IV Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade: Ciência e Tecnologia Construindo a Igualdade na Diversidade-UTFPR. Tema 15- Trabalho e Tecnologia. Como… Continuar lendo A Relação entre Trabalho e Tecnologia a partir das Organizações Prestadoras de Serviços de Call Center

A Relação entre Trabalho e Tecnologia a partir das Organizações Prestadoras de Serviços de Call Center

Priscila da Silva Duarte, Andreia Campesi, David Silva da Luz e Maicon de Lima Soares

Artigo apresentado no dia 10/11/2011 no IV Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade: Ciência e Tecnologia Construindo a Igualdade na Diversidade-UTFPR. Tema 15- Trabalho e Tecnologia.

Como decorrências das próprias invenções humanas, os trabalhadores criaram com o uso da tecnologia uma relação de dependência e perigo iminentes, que os conformaram frente à realidade. Assim, buscou-se explicar neste estudo como ocorre a relação entre trabalho e tecnologia, em uma organização prestadora de serviços de call center de telecomunicações, em Curitiba, Paraná, no ano de 2011, a partir dos trabalhadores. Foi feito um estudo qualitativo, mediante entrevistas semi-estruturadas com ex- Agentes de Atendimento (40) e ex-Instrutores (10)  e utilizadas as análise do conteúdo e do discurso para verificar quais são os meios de comunicação utilizados para atrair funcionários, os motivos que levam os trabalhadores a se inserirem e saírem deste trabalho e finalmente, quais os sentimentos dos trabalhadores, após terem obtido o primeiro contato, em relação a essa forma de trabalho. Este estudo justifica-se por expressar de modo mais evidente esta relação e devido ao foco ser uma organização que representa tanto o avanço do capitalismo quanto retrocesso na formação humana, com a separação entre o pensamento e ação.  Conclui-se que a falta de opções de trabalho faz com que muitas pessoas busquem nesta organização um meio para se conformarem com a exploração, como se fosse algo natural e inevitável, mesmo reconhecendo que há pontos positivos neste trabalho quando tem sentido para o trabalhador.